segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

desvio noturno

Estou sem tempo e isso é doloroso como um vinho branco quente. Mas continuo dentro do mistério da vida e ando descobrindo coisas sobre mim. A noite é um exemplo. Sou todo noturno e não tinha isso claro nas veias. Mas a noite está aí. E eu preciso escrever uma peça. Ou duas. (Ao mesmo tempo). Vou dormir por hoje. Amanhã é dia escuro. Preciso me aprontar para encontrar a morte.

3 comentários:

Ana Carolina disse...

Que bom que você voltou a escrever. Estava com saudades de suas palavras misteriosas e seus textos indecifráveis! ^^

Luisa Cassini disse...

Ah, você voltou dos mortos! (Desculpa, é algo meio estranho de se dizer, ainda mais para você.)Cuidado com essas vontades. Ocupar-se com muitas coisas ao mesmo tempo pode (eu disse pode) significar não se ocupar com nada completamente. Bem, o importante é não enferrujar. Ah, e por favor, não encontre a morte (pelo menos não no sentido denotativo da palavra), não ainda...! Já a outra morte...

Anônimo disse...

que coisa estranha de se escrever na internet.tome cuidado com o que diz a morte não escolhe o individuo.